No dia 09 de Março de 2019 realizou-se o 1º Meeting AGA@Life

AGA – Abordagem Geriátrica Ampla na promoção de um envelhecimento ativo e saudável implementação de um programa de intervenção integrado e multidisciplinar.
O 1º Meeting aga@4live – Abordagem Geriátrica Ampla na promoção de um envelhecimento ativo e saudável, decorreu, no dia 9 de março, no Palácio da Lousã Boutique Hotel.

A ADIC foi uma das entidades parceiras do Projeto AGA@4Life – Abordagem Geriátrica Ampla na promoção de um envelhecimento ativo e saudável – implementação de um programa de intervenção integrado e multidisciplinar.

Este projeto, de qual a ADIC se tornou parceira, a par com o Instituto Politécnico de Coimbra (promotor), o Instituto Politécnico de Tomar (co-promotor), o Instituto de Castelo Branco (co-promotor) e o Município da Lousã (co-promotor), visa a promoção de um envelhecimento ativo e saudável através da implementação de um modelo de intervenção fundamentado na abordagem geriátrica ampla (AGA), incorporando também recursos endógenos da região, e promovendo a agregação da Geriatria no currículo dos ciclos de estudos das Ciências da Saúde.

O modelo de AGA proposto assentou num protocolo de avaliação individual, de natureza holística e multidisciplinar, e consequente delineamento e implementação de estratégias de intervenção ajustadas a cada indivíduo, em articulação com os cuidados de saúde convencionais, visando a prevenção da fragilidade e do declínio funcional, cognitivo e social do idoso.

As ações de intervenção centraram-se em programas personalizados de: exercício físico; educação nutricional; estimulação cognitiva; monitorização de co-morbilidades; aconselhamento fármaco-terapêutico; e promoção global do bem-estar.

A ação estratégica do projeto teve como ambição principal a valorização da pessoa idosa, pela promoção da saúde e bem-estar, da independência e autonomia, da mobilidade e da oportunidade para contribuir na comunidade em que se insere.

Assim:

Envelhecimento ativo e saudável
Visa a promoção de um envelhecimento ativo e saudável através da validação e implementação de um modelo de intervenção inovador, fundamentado na abordagem geriátrica ampla (AGA), incorporando recursos endógenos da região nos planos de intervenção, agregando elementos de inovação tecnológica decorrentes da criação de plataformas digitais de monitorização remota, e promovendo a incorporação da Geriatria nos curricula dos ciclos de estudos nas Ciências da Saúde num processo de valorização pedagógica desta disciplina.

Áreas de Intervenção
A ação estratégica do projeto tem como desiderato fundamental a valorização da pessoa idosa, pela promoção da saúde e bem-estar, da independência e autonomia, da mobilidade e da oportunidade para contribuir na comunidade em que se insere.

Avaliação do Estado Global de Saúde
A abordagem preconizada no modelo de intervenção AGA@4life integra uma avaliação holística e multidisciplinar, visando o mapeamento do estado de saúde dos idosos.
Para esse efeito, é realizada uma bateria de exames, incluindo análises laboratoriais (sangue, saliva e urina), ecografia cardíaca, ecografia musculoesquelética e abdominal, avaliação audiológica e análise da onda de pulso, medição da pressão arterial e ritmo cardíaco.
A adequação do perfil nutricional é avaliado mediante a aplicação de questionários, como o Mini Nutritional Assessment e o Questionário de Frequência Alimentar, e uma avaliação antropométrica e de composição corporal por bioimpedância.
A avaliação de estilos de vida e história clínica são também recolhidos com base num questionário estruturado, que contempla dois questionários para caracterização do perfil de complexidade terapêutica individual e de adesão à terapêutica.

Avaliação do Estado Funcional
O modelo de intervenção AGA@4life agrega uma avaliação funcional abrangente, integrando aspetos como o equilíbrio e a mobilidade, a autonomia para as atividades da vida diária, a mensuração da fragilidade e a avaliação do risco de queda.
Para este efeito, é aplicada uma bateria de testes funcionais, incluindo o teste Timed Up and Go, o teste 30 segundos levantar/sentar, o Step Test e o Modified 4 Stage Balance Test.
São ainda utilizados o questionário de autoeficácia para exercício, o questionário de Perfil de Atividade e Participação relacionado com a Mobilidade (PAPM), e o questionário estruturado de Avaliação do Risco de Queda.

Avaliação da Saúde Mental e Qualidade de Vida
A saúde mental constitui uma dimensão crucial ao modelo de intervenção AGA@4life.
Nesse sentido, é avaliada a função cognitiva com base na plataforma CANTAB (Cambridge Cognition) que disponibiliza um leque alargado de testes de avaliação das funções executivas, memória, coordenação sensoriomotora, entre outros. A depressão é avaliada pela versão portuguesa da Escala de Depressão Geriátrica, e a qualidade de vida pela versão portuguesa do questionário WHOQOL-OLD.

Avaliação do Contexto Social e Ambiental
O ecossistema onde decorre a via da pessoa idosa constitui uma dimensão de grande importância no suporte às necessidades individuais, e na facilitação da implementação de estratégias de promoção de um envelhecimento saudável.
O modelo AGA@4life contempla a avaliação do contexto social através da caracterização do suporte social e familiar, com base na Escala de Redes Sociais de Lubben.
As condições ambientais são avaliadas mediante a aplicação de uma checklist de segurança no ambiente domiciliar e dos espaços coletivos, e através da análise objetiva da qualidade do ar, níveis de ruído, temperatura e humidade.

Intervenção Personalizada e Multidisciplinar
O modelo de intervenção AGA@4life assenta num plano multidisciplinar e holístico, ajustado às necessidades individuais, identificadas na avaliação diagnóstica abrangente, e às expectativas da pessoa idosa.
Esta intervenção visa acentuar a valorização da pessoa idosa, pela promoção da saúde e bem-estar, da independência e autonomia, da mobilidade e da oportunidade para contribuir na comunidade em que se insere.
O modelo de intervenção AGA@4life compreende assim o desenho de planos adaptados de promoção da atividade física e funcionalidade, de prevenção de quedas, de otimização nutricional, de estimulação cognitiva, de treino auditivo e de promoção do bem-estar psicossocial.
A implementação destes programas é feita de forma individualizada, por profissionais especializados nas áreas da Fisioterapia, do Desporto, da Dietética e Nutrição, da Audiologia, da Psicologia, da Fisiologia Clínica, da Saúde Ambiental, da Imagem Médica e Radioterapia, das Ciências Biomédicas Laboratoriais, da Farmácia, da Educação para a Saúde e do Serviço Social.

O modelo AGA@4life é desenvolvido num ecossistema com uma forte componente de aplicação tecnológica. O projeto integra assim atividades de desenvolvimento e aplicação de tecnologias inovadoras de monitorização biométrica, que possibilitam a medição de diversas variáveis clínicas e ambientais de interesse, particularmente relevantes para o acompanhamento do idoso no seu lar (promoção do independent-living) e na aplicação dos programas de exercício físico adaptado.
A componente tecnológica de monitorização biométrica no domicílio é desenvolvida em colaboração com o Instituto Politécnico de Tomar, em articulação com o Projeto VITASENIOR, que pretende fornecer um dispositivo concentrador (VITABOX) que interage com diversos equipamentos médicos, fazendo a recolha de parâmetros fisiológicos do utilizador, e ambientais do lar, de forma transparente, disponibilizando-os na Cloud.

Durante o evento foram apresentados os resultados obtidos no Projeto, bem como expostas algumas soluções tecnológicas que o acompanharam.

Das várias sessões, que tiveram inicio a partir das 9h30m, destacamos a Conferência Aberta à comunidade “ os desafios do envelhecimento numa sociedade em mudança” a qual foi proferida por Maria João Quintela, médica gerontóloga.

A ADIC orgulha-se de ter estado presente neste consórcio e agradece a todas os seus Utentes e Colaboradoras que nele participaram ativamente.