Casa do Povo de Abrunheira assinala 60 após a morte de Afonso Duarte

Joaquim Afonso Fernandes Duarte, nasceu a 1 de janeiro de 1884 em Ereira, Montemor-Velho. Faleceu em Coimbra a 5 de março de 1958 aos 74 anos.

A Casa do Povo de Abrunheira não esquece esta figura ímpar da cultura popular. Poeta e pedagogo, haveria de não ser tão reconhecido à época como deveria, fruto da sua visão e arrojo, mas haveria a História de comprovar que estava no caminho certo., nomeadamente através da sua visão com a denominada “Educação Nova” que defendia e que lhe valeu a incompreensão dos seus pares na época.

A Casa do Povo de Abrunheira, fruto da sua vocação cultural tem vindo a homenagear Afonso Duarte nomeadamente com  a elaboração de um quadro sobre o artista elaborado ao vivo durante o festival do arroz e da lampreia em Montemor-o-Velho ,tendo a Instituição procedido à sua doação à Biblioteca Municipal ,na sede de concelho, que de resto lhe deu nome. Ora, para respeitar esse nome e o seu legado, a Instituição abrunheirense também já realizou uma exposição de alguns artigos originais do poeta e pedagogo, espólio que compreende carimbos, cadernetas de aluno e escritos originais, encontrando-se a divulgar um vídeo sobre a sua visão do ensino, demonstrando igualmente a sua disponibilidade para que o espólio que está em sua pertença possa ser estudado a nível académico, a fim de se aprofundar o reconhecimento da visão desta figura ilustre de Montemor-o-Velho.